2016: Ano da Engenharia Reversa em Serviços na CDINFO

Em 2009 fui convocado para fazer uma reportagem especial sobre serviços de assistência técnica. Seria uma matéria de serviços e denúncia. Ao apresentar o material, houve um certo desconforto por parte do solicitante: o principal patrocinador e player da mídia não apareceu bem na fita. “Se você não puder falar bem do seu player patrocinador ou parceiro comercial, mal jamais”, disse o editor.

O teste fora simples: apagara o arquivo NTLDR e levara o desktop para as empresas de informática que prestavam serviços de assistência técnica. Os diagnósticos foram os mais absurdos. Desde formatação geral até a troca da placa mãe. A solução era simples, bastava carregar um CD de Boot do Linux e copiar para o disco o arquivo NTLDR.

Fiquei com um grande mico nas mãos, digo no micro. Foi ai que meu anjo-de-guarda me sugeriu: por que você não faz um teste de Engenharia Reversa em Serviços?

– Mas não sou engenheiro, sou técnico de informática. Já ouvi falar dessa engenharia reversa em softwares, mas em serviços será a 1ª vez. Como é que funciona?

– É simples, compre os serviços e teste TODOS os parâmetros, desde o prazo até a pontualidade dos atendentes. Assim você manterá vigilância a condições potencialmente disruptas em relação à CDINFO.

Durante todo o ano de 2009 comprei vários “serviços de assistência técnica em domicílio”. Os resultados? Para evitar o conflito de interesses, serão publicados aos poucos e apenas dentro da 14ª Oficina de Formação de Consultores Domésticos em Informática.

Sabecumequié, já tinha empresa querendo me processar antes da matéria ser publicada, imagina o que poderá acontecer se eu der “nome aos bois”.

Bração e boa $orte.
Quemel

Esta entrada foi publicada em Doutor Computador e marcada com a tag . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Uma resposta para 2016: Ano da Engenharia Reversa em Serviços na CDINFO

  1. Eduardo Almeida disse:

    Grande Quemel. Quanto tempo!

    Olha amigo, estou planejando realizar em meu colégio aqui no “state of Paraná” cursos curtos, de algumas horas ou no máximo um ou dois dias. Fiquei pensando como se chamam cursos assim. Oficina? Workshop? Sei lá.

    O fato é que pretendo dar algumas instruções mais avançadas de PowerPoint, Planilha e… Como comprar um computador sem ser enganado. Este último lhe soa familiar? Rsrsrs.

    Pode me dar umas dicas? Ah, e será Oficina mesmo o nome do que eu quero fazer?

    Obrigado.
    “Bração”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *