Recordar é viver: Choque de ampulhetas

De quatro em quatro anos eu mudo de trabalho.

Em 2010 tranquei o curso de jornalismo. Passei o ano inteiro viajando pelo Brasil para implementar um sistema de processo eletrônico. Mais do que um diploma eu queria experiências.

Não me arrependi!

Em 2005 colaborei com uma matéria que se chamava Choque de ampulhetas. Uma pesquisa apontava que jovens desejavam alcançar o sucesso profissional em cinco anos. O prazo viável, segundo especialistas em RH, seria o dobro.

O pior era ver que em pleno século XVI um cientista já falava isso em sua obra.

Veja o ele dizia:

Quemel: Qual seria o outro problema?

Leonardo da Vinci: A tese da empregabilidade incita ao que chamo do “choque de ampulheta”. O mercado diz que ele não pode ficar muito tempo numa só empresa, caso contrário perde as oportunidades de ascensão na carreira. O que se vê são jovens na casa dos 20 e poucos anos que não conseguem permanecer na empresa por mais de dois anos. E o motivo é muito simples: querem tornar-se presidente, pois o manual da empregabilidade diz que se em cinco anos não chegarem ao topo são fracassados. Quer saber mais como esse artista viu o futuro do trabalho? Leia em Por dentro da mente de Leonardo da Vinci

Esta entrada foi publicada em Carreiras Digitais & Cia. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *