Carta a um jovem profissional de TI: vergonha digital

Você passa quatro ou cinco anos na faculdade. Paga uma mensalidade de até R$ 1.160 por cursos de Informática (Ciência da Computação, Sistemas de Informação, Engenharia de Redes, Desenvolvimento Web, etc). Ao se formar é obrigado a trabalhar como terceirizado para ganhar um piso salarial de R$ 1.2 mil. Fora os impostos, descontos legais e outros, recebe líquido cerca de R$ 628.

Para pagar menos imposto sindical, você ainda é obrigado a ser registrado no Sindicato de Conservação e Limpeza. Enquanto isso, sindicalistas menos competentes abocanham salários de cerca de 20 mil.

Quem é o responsável?

1) Você que não teve competência para arranjar coisa melhor?

2) A empresa que precisa pagar impostos trabalhistas R$ 103 para cada R$ 100 que paga de salário para você?

3) Uma cambada de vigaristas que dá plantão em Brasília apenas de 3ª a 5ª feira que passaram a ganhar R$ 102 mil, apenas para bater ponto?

4) Sua rede de relacionamento que é fraca, pois não conhece nenhum “cumpanheiro” que possa lhe arranjar uma boquinha nos 24 mil cargos de confiança?

Talvez seja hora de você achar que não tem nada a ver com Política e começar a exigir que pelo menos lhe respeitem como CIDADÃO.

Pois como profissional de TI…

Esta entrada foi publicada em Escovando bytes. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

4 respostas para Carta a um jovem profissional de TI: vergonha digital

  1. Tales disse:

    Sem falar que a setor é muito prostituído, a concorrência é muito sacana !

  2. Alexander M. Fanni disse:

    Eu fico com as opções 1 e 3.

    Penso que somos muito acomodados, não persistimos, e desistimos muito fácil, aceitamos as coisas muito facilmente, sem lutar e exigir nossos direitos, lógico que existem exceções, existem problemas educacionais e etc… mas já é tempo de começarmos a mudar esta imagem.

    E para finalizar a cambada que todos nós brasileiros colocamos em Brasília, fala-se muito em aprender a votar, escolher bem o seu candidato, mas acontece que em muitas regiões não existem opções… tudo que aparece é uma *#@!& e não temos escolha, aliás, temos não votar….

  3. Metatron disse:

    A resposta está na nossa origem histórica como povo. No início éramos semelhantes aos ingleses exilados na hoje Austrália: os desprezados; e ao chegarem lá, se adaptavam ou seriam engolidos pelo ambiente inóspito; além disso, foram esquecidos pelas grandes potências da época, e por um tempo suficiente, quando os impérios perceberam, a Austrália já era uma nação forte para resistir a tentativas de predação. No nosso caso não…em 1530 o país foi fatiado em lotes e entregue para exploração inescrupulosa, tráfico de escravos, injustiça desde a origem…muito triste mesmo, mas não me espanto, só poderia acabar desse modo mesmo. Para entender o hoje de um povo, é preciso entender o passado, as origens desse povo.

  4. Luis Felipe disse:

    Falou tudo Quemel!

    Do jeito que anda alguns estudam 4 5 anos e trabalham mais 10 pra pagar a faculdade, tirando a moradia, alimentação, etc. Assim fica dificil a renda do brasileiro melhorar.

    ABS

    t+

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *