Carta a um jovem instrutor de informática: 1º dia de aula

Caro colega, salve!

Você me pergunta o que deves fazer em seu 1º dia de aula. Eu também gostaria de saber. Todas as vezes que entro em uma sala de aula sinto as mesmas coisas: medo e felicidade.

Quando entrei pela 1ª vez numa sala de aula na condição de professor tive a impressão de ter levado uma overdose de adrenalina. A boca seca, respiração ofegante e para piorar não conseguia enxergar absolutamente nada. Tentei entrar em pânico, sair correndo, mas comecei a conversar com os treinandos e após 10 minutos já conseguia vê-los.

Falei de minha condição como aprendiz, mas também de minha felicidade em compartilhar meus conhecimentos. Era 1990 e iniciava um curso de Assistência Social Espírita para três pessoas.

No 1º dia de aula chegue cedo (10 minutos antes) e se posicione na porta de entrada para recepcionar os treinandos. Crie um ambiente fraterno para os participantes. Comece contando um história que incentive por exemplo a auto-estima.

Use essa estória para incentivá-los a não desistirem do curso. Crie esse hábito em todas as aulas. Reservar cinco minutos para essa harmonização. Vou postar aqui a bibiografia para esse momento.

Gosto muito de uma frase do Chico Xavier:

Quem sabe pode muito,
Quem ama pode mais.

Para ministrar aulas de informática socorro-me dos mestres Reuver Feuerstein e Paulo Freire.

Sugiro que você faça a leitura da Quinta carta escrita pelo mestre Paulo Freire intitulada Primeiro dia de Aula. Leia, reflita e venha postar aqui suas descobertas.

A impressão que tive ao ler o livro sugere que dediquemos os cinco minutos iniciais da aula para ministrarmos a disciplina Amor.

Bração e boa $orte,
Quemel

Esta entrada foi publicada em InsTrUTOR. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *