Discurso de Ruy Barbosa, no Senado Federal, em 1914

“A falta de justiça, Srs. Senadores, é o grande mal da nossa terra, o mal dos males, a origem de todas as nossas infelicidades, a fonte de todo nosso descrédito, é a miséria suprema desta pobre nação.

A sua grande vergonha diante do estrangeiro, é aquilo que nos afasta os homens, os auxílios, os capitais.

A injustiça, Senhores, desanima o trabalho, a honestidade, o bem; cresta em flor os espíritos dos moços, semeia no coração das gerações que vêm nascendo a semente da podridão, habitua os homens a não acreditar senão na estrela, na fortuna, no acaso, na loteria da sorte, promove a desonestidade, promove a venalidade, promove a relaxação, insufla a cortesania, a baixeza, sob todas as suas formas.

De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto.

Essa foi a obra da República nos últimos anos. No outro regime (na Monarquia), o homem que tinha certa nódoa em sua vida era um homem perdido para todo o sempre, as carreiras políticas lhe estavam fechadas. Havia uma sentinela vigilante, de cuja severidade todos se temiam e que, acesa no alto, guardava a redondeza, como um farol que não se apaga, em proveito da honra, da justiça e da moralidade”.

(in Obras Completas de Rui Barbosa, V. 41, t. 3, 1914, p. 86)

Esta entrada foi publicada em Leituras & Cia. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

10 respostas para Discurso de Ruy Barbosa, no Senado Federal, em 1914

  1. Quezia disse:

    Até parece profecia para os dias atuais,talvez ele chegasse a infartar se estivesse naquela latrina que hoje é Brasília.

  2. João Simões disse:

    Discurso do Sr. Senador Rui Barbosa feito a mais de 100 anos, devia fazer parte da ideologia dos que comandam esse nosso Brasil

  3. Argemiro Neto
    08/10/2016 as 05:05
    O discurso do Senador Rui Barbosa, que no paragrafo termina citando “o homem chega a rir-se da honra e ter vergonha de ser honesto,” deve ser afixado atrás das
    poltronas dos presidentes da câmara e do senado, para servir de advertência a quem
    coubesse a carapuça. Acho que a sugestão não geraria ofensas e pode ser aplicada.

  4. Fernando Império disse:

    O descalabro de nossa Constituição Federal de 1988. Vem provar que o PT e todos os outros partidos políticos são o grande lixo administrativo a favor da corrupção ativa e passiva de toda ética e carácter de nossa atual sociedade…

  5. Eduardo Viana Freire disse:

    e uma pena que uma referencia como Rui Barbosa não seja compreendida pelo povo Brasileiro; luzes toda gerações tem, mas depende das mentes para que possa ser acesa.

  6. Caro Luiz Henrique Quemel, intriga-me o texto de Cleide Canton, mais conhecido pelo recital de R Boldrin, “Sinto pena de mim”, e esta citação acima, onde seria interessante obter cópia do discurso do Senado Federal em 2014, não termos mais dúvida da autoria tão contestada por muitos. O que o amigo acha disto?

  7. Aldo Flores da Silva disse:

    O discurso de Ruy Barbosa,reflete bem os dias de hoje. Notamos que a injustiça, a desonestidade e a desonra estão cada vez mais evidenciados na mente dos políticos de índoles atoladas no lixo e na podridão.

  8. Fico triste quando me deparo com acontecimentos passados e ver que as pessoas não evoluem. Sinto que não chegaremos em lugar algum. Tenho vergonha. Parabens QUEMEL pela publicação.

  9. leonardo hazan disse:

    Nós pessoas honestas, infelizmente nos deparamos com isso o tempo todo. Belo texto , sincero e verdadeiro mesmo escrito cerca de 100 anos.

  10. Anderson disse:

    Caro Quemel, salve

    Discurso do século passado, contudo cabe exatamente no buraco(negro) existente hoje naquilo que o homem chama de sociedade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *