[Livro] Os filhos do Governo

SINOPSE. Um menor abandonado, criado em instituições públicas e que passou pela delinqüência, ultrapassa excepcionalmente todas as barreiras. Forma-se em pedagogia e escreve um trabalho em que prova que o modelo estatal de assistência à infância em situação de risco, estabelecido pelo regime pós-64 (Febem-Funabem), constitui fator de reprodução da criminalidade.

O livro é resultado de um fênomeno social. Seguisse a rota normal da marginalidade, seu autor, Roberto da Silva, deveria estar preso, mendigando ou, muito provável, morto.

Partindo de sua experiência e ampliando a pesquisa para 370 histórias, Roberto da Silva desenvolve um estudo de altíssimo nível e de fundamental importância para a compreensão e a crítica das instituições e da sociedade brasileiras.
==========================================================
Comentário do QUEMEL: Esse livro correspondeu a um mestrado se tivesse como tema o ECA – Estatuto da Criança e Adolescente. Em 1997 ao estagiar no Centro de Atendimento Juvenil Especializado (CAJE), ouvi de uma funcionária: “Henrique, desista disso aqui – bandido não dá voto”.

Tive a oportunidade de participar dos encontros de grupos, baseados em Carls Roger e presenciar o atendimento ao adolescente G. (17 anos) que participou do epísódio Índio Pataxó Galdino em 20 de abril de 1997.

Por causa de um dos meus textos, fui proibido de no semestre seguinte de estagiar no “calabouço” (abrigo dos sentenciados). Conheça o meu relatório de estágio.

Esta entrada foi publicada em Leituras & Cia. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *