O que é medíocre?

É viver no meio-termo, se esforçando para fazer tudo como todo mundo faz

Por Max Gehringer


Vamos começar pelo meio. “Meio” é uma palavrinha que surgiu sem muitas ambições há 2000 anos (do latim “medium”, o ponto central). Mas ela cresceu, evoluiu e ganhou aplicações nos mais variados campos da atividade humana. Em alguns casos, já nem reconhecemos mais a palavra original. É o caso de “medalha”, uma antiga moeda dos romanos, que valia meio denário.

Mas há também derivações mais modernas do meio. Por exemplo, a mídia. Ou seja, os diferentes meios de fazer uma mensagem chegar ao consumidor. A palavra latina “media” era a forma plural de “medium”. Mas os americanos, quando a adotaram na publicidade, pronunciaram “media” à inglesa, trocando o som do “e” pelo som do “i”. E nós não apenas copiamos o som, como ainda trocamos a letra na grafia. Evidentemente, como mídia é plural, deveríamos dizer “as mídia”. Mas isso não é recomendável, porque aí seríamos confundidos com “os mano”, que falam “as mina”.

Médium, diretamente do latim, ganhou uma conotação espiritual, o da pessoa capaz de servir como meio de comunicação entre dois mundos, o dos mortos e o dos vivos. O meio também deu origem ao “intermediário”, o que se coloca entre duas situações para tentar resolvê-las. No campo das ciências, a matemática criou a média, a geometria criou a mediana, e os botequins criaram a média de café com leite. [Baixe aqui o artigo integral]

Esta entrada foi publicada em Leituras & Cia. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *