Desconectado, por Beto Acioli

Desconectado, por Beto AciolliSuporto as saudades
mas quero e prefiro o calor real.
O olho no olho, o toque na pele…
Não quero o frio beijo nem o abraço verbal.

Há alma em meus poros,
há sangue em minhas veias,
há pulso em meu corpo…
Sei, sou um anormal.

Meu mundo é de cores,
tem cheiros e sabores,
prazeres e dores de um mundo real.

Prefiro o saudável.
Louvo o inefável.
Vivo o palpável, não o virtual.

* Beto Acioli é poeta e autor do blog “A Cara da Dor

Esta entrada foi publicada em Desintoxicação Tecnológica. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

3 respostas para Desconectado, por Beto Acioli

  1. Sheila Hogberg disse:

    Parabéns pela sensibilidade em disperar os navegadores virtuais para nosso mundo real ao qual todos fazemos parte. Lindo!

  2. Kátia Regina Corrêa Quemel disse:

    Parabéns, Beto Acioli, seu poema é lindo e verdadeiro!

  3. Beto Acioli disse:

    Muito honrado em ter um poema meu publicado em seu blog.
    Abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *