Módulo 5 – Aula 9 – Ética e Deontologia

e_consultor REFLEXÃO
Na atividade de consultoria, não há muitas “leis”. Não existe um “Conselho Regional (ou Federal) de Consultores”. Portanto, para reger a ética das atividades do consultor, existe muito mais a observância de preceitos morais, de regras práticas de conduta profissional e pessoal ou, simplesmente, do uso do bom senso.

REAÇÃO
Analise o Código de Ética do IBCO – Instituto Brasileiro de Consultores Organizacionais e verifique se ele poderia servir de base para a construção de um código de ética para os consultores domésticos.

AÇÃO
Há diferença entre entre ética e moral? Justifique sua resposta.

BIBLIOGRAFIA
M04A08T01 – Código de Ética do Consultor Doméstico em Informática?
M04A08T02 – Ética no Consumo

Esta entrada foi publicada em Doutor Computador. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

6 respostas para Módulo 5 – Aula 9 – Ética e Deontologia

  1. Conforme Carolina Oliveira
    Escola Secundária de Linda a Velha
    Data de Publicação: 01/09/2007

    Diferença entre ética e moral:
    Ética é o principio, moral são aspectos de condutas especificas;
    Ética é temporal, moral é temporária;
    Ética é universal, moral é cultural;
    Ética é a pratica, moral é a Teoria.

    A Ética é a “vida mora pensada”, pois, reflecte criticamente o que a moral estabelece. A moral é o conjunto de regras concretas.
    A ética é a disciplina filosófica onde reflecti criticamente a moral, para assim por em pratica se for o correcto.

    A ética é importante por que respeita os outros e a dignidade humana, ética é o que todos temos só falta desenvolver e acreditar no bem, a ética nos orienta e nos ajuda para uma vida boa; Mas boa em que sentido? No sentido do bem, fazer o bem para com as pesosoas, ajudar, orientar e pensar em outros e pensar neles também para podermos ser felizes, atingir a felicidade está também em atingir a felicidade do outro. A ética é practicada sem nenhum tipo de determinação vem de dentro, do consciente.

    Valores: Normas Morais:
    Verdade: Não Mentirás
    Vida: Não Matarás

    A Moral
    Afinal o que é a moral? A moral é o conjunto de regras, normas de uma sociedade ou região, é importante porque há muitas pessoas que desrespeitam as leis e são de um instinto mal.

    A Moral é importante por que não temos piloto automático e nossa sociedade é muito cruel. A moral é um conjunto de conduta, A moral é o ” TU DEVES”.

    A Moral e a ética são temporais, ou seja, ao longo do tempo se vai modificando, evoluindo, por que estão abertos a novos conceitos e criticas.

    A moral não pensa na Liberdade e na dignidade do individuo, e a ética tem como ponto de partida esses dois valores.”

    Portanto fazer tudo em sua vida respeitando os princípios da ética e da moral, é um caminho grandioso para se ter sucesso e prosperidade em sua vida familiar e profissional.

  2. rafeldi disse:

    Tudo na vida tem os dois lados o “YING” e “YANG”, ou simplesmente o “BEM” e o “MAL”.
    Cabe a nós profissionais de boa índole, dar ao cliente a opção do correto! Porem pelo custo gerado ao mesmo, ele possivelmente vai querer ir pelo lado errado da historia.
    Como o amigo andre.ferreira citou em sua resposta, o que acontece na região em que reside. Em outros lugares do nosso Brasil não é diferente.
    A consciência das pessoas foi feita por profissionais de má índole, e assim gerou em um longo tempo a consciência errada, não só referida aos produtos certos a serem usados, mais também a uma visão diferente a nossa profissão.
    E por essa visão errada criada pelos, “vizinhos”, “sobrinhos”, “cunhados”, “amigos”, “irmãozinhos”, que fazem o serviço mais barato e errado. É que nós ao prestarmos os nossos serviços de qualidade e satisfação tanto para o consultor como para o cliente, somos muitas vezes “culpados” por cobrar caro pelos nossos serviços.
    Então vem a hora de sermos profissionais de verdade eticamente corretos, e mostrar que as coisas não são feitas como eles pensam.
    Mais cai entre nós, mudar o pensamento de pessoas muitas das vezes “cegas” é difícil não?
    Grande abraço a todos, felicidades, sucesso e muitas realizações em 2011!

  3. clayton de souza disse:

    Sempre haverá diferença, pois ficam passiveis de interpretação de cada individuo, portanto a ética que pode ser “padronizada” de acordo com cada área profissional deve sempre ser mais discutida, pois da uma menor margem a interpretações, já a moral e cultural mesmo, o que é certo para mim, pode ser errado para outra pessoa.

  4. hegon.damaso disse:

    O Código de Ética do IBCO tem elementos suficientes para embasar a elaboração de um código de ética para os consultores domésticos, este sim, mais completo e abrangente em relação à profissão.

    Na questão entre ética e moral, a diferença principal para mim é a questão gramatical: enquanto a primeira é trissilabica e proparoxítona, a segunda é dissilabica e oxítona.
    Mas pelo que pude extrair destes conceitos se refere à ética como algo universal e atemporal (por exemplo: não roubar e não matar), enquanto a moral é algo construído por cada sociedade, e uma ação que é considerada moral em uma, não é em outra (por exemplo: a quantidade de roupas utilizadas pela população).

    Empregada no ponto de vista das profissões, a ética, embutida nos códigos de ética de cada categoria profissional, se embasa nos conceitos universais e os modela de acordo com as necessidades de cada categoria. Talvez se todos os profissionais fossem éticos e realmente seguissem seus códigos, o CDC seria algo desnecessário, pois o fornecedor respeitaria o consumidor, sempre havendo respeito e harmonia. Ou seja, utopia.

    Abraços;

  5. andre.ferreira disse:

    Olhando a coisa mais pelo lado que o Cláudio iniciou, acredito piamente que o que se precisa é um equilíbrio entre os dois “mundos”.

    Aqui na minha regiao, por exemplo, nenhuma empresa de suporte tecnico ou consultor domestico sobrevive senao instalar softwares piratas nos coputadores dos clientes. Essa é a cultura por aqui e por mais que vc mostre as vantagens e etc e tal, dificilmente alguem concordará com isso pq PRIMAM pelo preço. Formatação, pra se ter uma idéia, aqui gira em torno de 30 reais. Faço a 60 mas faço algo DESCENTE.

    Então, acredito que:
    Se teu cliente sabe dos riscos (pq vc já o orientou) e mesmo assim prefere trabalhar ás margens da lei com software pirata a decisão é unica e exclusivamente dele. Sou pago pra resolver problema e isso eu me viro e dou conta.

    Enfim, nesta discussão se faz necessário pontuar tantos ítens que fica dificil o fazer de forma tao suscinta mas espero me ter feito entender, rsrs.

    Abraços!

  6. Diferenças práticas entre moral e ética.

    O profissional moralmente correto:
    – Presta um serviço de qualidade, não passa os clientes para trás, não gosta de discussões e muito menos de palavras de baixo calão e conversas que não levem a nada. Porém, esse profissional, muitas vezes, peca ao pensar nos detalhes dos serviços que presta. Muitos cobram valores abaixo do mercado somente porque “precisam sobreviver”, bem como no caso da falácia “Ad Misericordiam”, citado por você aqui no blog. Alguns também não se preocupam em instalar softwares originais para os clientes e nas consequências que seus atos trarão aos seus clientes, tanto perante a lei quanto pela sociedade. Prestam um serviço de qualidade, porém pecam na educação do cliente e no pós-venda, que consiste na parte de fidelização do cliente.

    O profissional eticamente correto:
    -Não presta serviços levando em conta a cara do cliente. Antes de fechar uma proposta de prestação de serviços, avalia todas as possibilidades visando a obtenção dos resultados esperados por seu cliente, ou mesmo superá-los. Utiliza somente procedimentos que obedeçam a legislação, como utilização de softwares legalizados ou, quando possível eu alguns casos, substitui softwares proprietários por softwares gratuitos. Sua missão é a de garantir a transferência de conhecimento para a autoindependência do cliente, fazendo com que este possa almejar novos horizontes por conta própria. O profissional ético deixa claras todas as informações ao cliente antes de “fechar negócio”. O cliente sabe qual o valor que deverá ser pago e o tempo estimado para conclusão do serviço. Sabe também dos meios que serão utilizados para a conclusão do serviço. Logicamente o profissional ético mantém as informações do cliente seguras quanto a vazamento de informações, e todo cuidado é pouco neste sentido. Só presta serviços se estes trouxerem valor para o cliente, do contrário nada feito.

    $orte e $ucesso,

    Claudio R. E. Boaventura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *